Tamanho da Letra

A ressurreição é a vitória do amor de Deus

A Igreja celebra hoje, na segunda-feira posterior à Páscoa, a “Segunda-feira do Anjo”. Neste dia, o Papa Francisco rezou junto aos fiéis reunidos na Praça São Pedro, a oração do Regina Coeli e refletiu sobre as palavras proferidas pelo anjo às mulheres que tinham ido ao sepulcro: ‘Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que está vivo? Ele não está aqui, ressuscitou’.

“A ressurreição de Cristo é o acontecimento mais fascinante da história humana, que atesta a vitória do amor de Deus sobre o pecado e a morte, e doa à nossa esperança de vida um fundamento sólido como a rocha. Aconteceu o que era humanamente impensável. Jesus de Nazaré: Deus o ressuscitou, libertando-o das cadeias da morte”, disse o Papa

O Papa Francisco reforçou que nesta ‘Segunda-feira do Anjo’, a liturgia — o evangelho de Mateus —leva os cristãos novamente ao túmulo vazio de Jesus. O Papa lembra que as mulheres, cheias de temor e alegria, vão às pressas dar a notícia aos discípulos que o sepulcro estava vazio, e, naquele momento, Jesus aparece diante deles e eles se aproximam, abraçam seus pés e o adoram. “Ele não era um fantasma, ele era Jesus vivo, com a carne, era ele. Jesus expulsa dos seus corações o medo e os encoraja ainda mais a anunciarem aos irmãos o que aconteceu”, sublinhou o Pontífice.

O papel das mulheres, Maria Madalena e as outras, é, segundo o Santo Padre, ressaltado pelos evangelhos. Elas são as primeiras testemunhas da ressurreição, lembrou Francisco. “Os homens, assustados, estavam fechados no cenáculo. Pedro e João, advertidos por Madalena, apenas correm rapidamente e descobrem que o túmulo está aberto e vazio, mas são as mulheres as primeiras a encontrarem o ressuscitado e anunciarem que ele está vivo”, frisou o Papa que completou: “Hoje, queridos irmãos e irmãs, ressoam a nós as palavras de Jesus dirigidas às mulheres: não tenham medo, vão anunciar”.

Depois dos ritos do Tríduo Pascal que, segundo o Pontífice, fizeram os cristãos reviverem os mistérios da morte e ressurreição de Jesus, o convite proposto pela Igreja é que os fiéis, agora com os olhos da fé, contemplem Cristo ressuscitado e vivo. “Nós também somos chamados a encontrá-lo pessoalmente e nos tornar anunciadores e testemunhas”, exortou. Na antiga sequência litúrgica pascoal, o Papa recorda que nesses dias os cristãos repetiram: ‘Cristo minha esperança ressuscitou!’, e recordou que, unidos a Jesus, todos também ressuscitaram, passando da morte para a vida, da escravidão do pecado para a liberdade do amor.

“Deixemo-nos, portanto, sermos abrangidos pela mensagem reveladora da Páscoa e sermos envolvidos por sua luz gloriosa que dissipa as trevas do medo e da tristeza. Jesus Ressuscitado caminha ao nosso lado. Ele se manifesta para aqueles que O invocam e O amam, primeiramente na oração, mas também nas simples alegrias vividas com fé e gratidão. Podemos senti-Lo presente também partilhando momentos de cordialidade, acolhimento, amizade e contemplação da natureza. Que este dia de festa, em que é costume desfrutar de um pouco de lazer e gratuidade, nos ajude a experimentar a presença de Jesus. Peçamos à Virgem Maria para que alcancemos plenamente a paz e a serenidade, dons do ressuscitado, a fim de partilhar com os irmãos, principalmente os que mais precisam de consolo e esperança”, concluiu.

Fonte: Arquidiocese de Belo Horizonte

Para refletir

“E o seu mandamento é este: que acreditemos no nome do seu Filho Jesus Cristo e nos amemos uns aos outros” (1 Jo 3,23)

Você Sabia

O Tempo Comum reinicia com a 10ª semana, sendo a leitura do Evangelho contínua, cada texto do Evangelho proclamado nos coloca no seguimento de Jesus Cristo, desde o chamamento dos discípulos até os ensinamentos a respeito dos fins dos tempos.