Tamanho da Letra

Carta aos fiéis de D. Walmor

Em uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (17), o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, apresentou uma carta aos cristãos e disse que a democracia brasileira está altamente fragilizada devido aos últimos acontecimentos políticos e acirramento da disputa eleitoral no Brasil. O líder religioso ressaltou que a Igreja Católica tem obrigação de ser apartidária e reforçou os compromissos da instituição contra o aborto, a legalização de drogas e armas e “contra tudo aquilo que seja na contramão da vida, como a pena de morte”.  

Segundo Dom Walmor, a carta surge em um momento em que é necessário criar um espírito de fraternidade, e não de medo, perseguição, ameaça e discriminação. “É uma convocação para que lancemos nosso olhar sobre o conjunto da sociedade brasileira, constatando que estamos vendo extremismos, incitação de polarizações, de discriminações, sobretudo, fruto daquilo que é a fragilidade politica partidária no Brasil”, disse Dom Walmor. 

Para ele, a democracia brasileira está servindo a interesses políticos e de bancadas parlamentares, quando deveria servir ao bem comum. 

“O povo brasileiro deve se mobilizar para fortalecer a democracia e caminhar rumo ao desenvolvimento integral e sustentável, promovendo inclusão e bem-estar, principalmente, dos mais pobres”, diz um trecho do documento.

Também assinaram a carta os bispos auxiliares Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, Dom Edson José Oriolo dos Santos, Dom Otacílio Ferreira de Lacerda, Dom Geovane Luís da Silva e Dom Vicente de Paula Ferreira.

Para refletir

Quando quem crê escuta verdadeiramente no seu coração as palavras de Jesus: “Não tenham medo”, não se sente convidado a fugir de seus compromissos, mas alentado pela força de Deus a enfrentá-los.

José A. Pagola – Revista Mensageiro

Você Sabia

O processo da santificação é exercício diário. A santidade é caminho percorrido, é compromisso assumido, é amor doado, é saída de si. Há tantos santos e santas que estão bem próximos de nós.

Pe. Eliomar – Revista Mensageiro