Campanha Fraternidade

A CF 2020 toma como referência a Parábola do Bom Samaritano (Lucas 10, 25-37). A Parábola do Bom Samaritano é composta por personagens anônimos. O Sacerdote e o Levita, desviam-se do homem ferido, pois não tinham tempo para ele. O Samaritano aproxima-se da vítima dos salteadores e, movido pela compaixão, gasta seu tempo, ficando com ele à noite na hospedaria. No dia seguinte paga as despesas da sua estadia e promete retribuir ao dono da hospedaria tudo o que por ventura gastasse a mais para cuidar daquele que sofreu o assalto.

A postura inesperada do Samaritano contém o centro do ensinamento de Jesus: o próximo não é apenas alguém com quem possuímos vínculos, mas todo aquele de quem nos aproximamos. Não é a Lei, vínculo sanguíneo ou ligação afetiva que estabelecem as prioridades, mas a compaixão, que impulsiona a fazer pelo outro aquilo que nos é possível, rompendo com toda indiferença. A lei é esta: todos devem ser amados, sem distinção.

Ser capaz de sentir compaixão é a chave da obediência à vontade de Deus, que ama toda a criação: Servir! Ver! Sentir, ter compaixão e cuidar é o autêntico Programa Quaresmal.

Quaresma é tempo de abertura ao mistério da dor, morte e a cruz do Crucificado, Vencedor da Morte. A Igreja recorda que esse caminho do calvário e vitória de Cristo, exige de nós jejum, oração e a esmola. No jejum somos conectados à dor dos que tanto sofrem pela falta de vida digna. A oração, diálogo de amor e amizade, é aproximação que nos possibilita sermos tocados pelo amor e ternura de Deus. A esmola é a partilha de vida, cuidado amoroso que nasce da liberdade da renúncia para a entrega amorosa. Jesus é o verdadeiro bom Samaritano que se aproxima dos homens e das mulheres que sofrem e, por compaixão, lhes restitui a dignidade perdida. A entrega de Jesus na cruz é apenas o culminar desse estilo que marcou toda a sua vida.

Fonte: https://portalkairos.org/campanha-da-fraternidade-2020/#ixzz6BxzrpKWI

mês vocacional

 

O mês de agosto, para a Igreja no Brasil, é dedicado à reflexão e oração pelas vocações. É o mês em que as comunidades são chamadas a refletirem sobre a forma de como estão cultivando as vocações, ao mesmo tempo em que elevam suas preces ao Deus providente para que “continue a passar pelos nossos caminhos, pelas nossas famílias, pelas nossas escolas e comunidades” repetindo o convite do seguimento a muitas crianças, jovens e adultos. O mês em que as comunidades rezam pedindo coragem às pessoas convidadas e força aos que abraçaram uma vocação específica “para que sejam fiéis como apóstolos leigos, como sacerdotes, como religiosos e religiosas para o bem do povo de Deus e de toda a humanidade” (João Paulo II).

A vocação é um dom de Deus que implica numa resposta da pessoa chamada. É uma graça que Deus dá às pessoas para ajudá-lo a concretizar o seu projeto de amor através da vida sacerdotal, religiosa, familiar e leiga.

Deus chama e dá o carisma. Se está diminuindo o número de famílias que dão testemunho de fidelidade a Jesus Cristo, e se são poucos os padres e religiosos e existe carência de pessoas para trabalharem na catequese, no serviço da caridade e na animação das comunidades, não é porque Deus deixou de chamar. A deficiência se deve ao fato de muitos dos chamados não se disporem ao seguimento, ou não encontrarem terreno propício para o cultivo da sua vocação.

Em razão de no dia 04 de agosto celebrarmos São João Maria Vianey, o Cura d’Ars, que é padroeiro dos padres diocesanos, o primeiro domingo do mês é dedicado à vocação sacerdotal. Para os padres e bispos da Diocese, a comemoração começou com dois dias de curso sobre a “identidade e espiritualidade do padre” e um dia de confraternização marcado pela missa de ação de graças, almoço e tarde de convivência no dia 04 de agosto. No final de semana os padres celebram com suas comunidades, unindo-se ao povo no pedido por mais vocações à vida sacerdotal e por fidelidade aos que foram chamados.

Nos domingos seguintes, celebraremos a vocação dos pais e a Semana Nacional da Família (14 de agosto); a vocação dos religiosos e das religiosas no dia 21 de agosto e a vocação dos cristãos leigos, com destaque para as catequistas, no dia 28 de agosto.

Convidamos a todos os batizados a se empenharem em viver e testemunhar, na alegria, a sua vocação a serviço do Reino de Deus. Que todos se unam às suas comunidades para orar por vocações ao longo dos quatro domingos do mês de agosto, atendendo ao mandato de Cristo: “Pedi ao Senhor da Messe que mande operários para a sua Vinha” (Lc 10,2).

Fonte. CNBB

 

Pastoral Carcerária Familiar

A Pastoral Carcerária Familiar foi criada em novembro de 2015, tendo como fundador o Prof. Pe. Geraldo de Mori, SJ. O desejo da fundação desta pastoral surge motivado para a construção de uma sociedade mais solidária e para fortalecer a dimensão comunitária, material e espiritual das famílias visitadas. Assim sendo, ajudando-as a crescer na fé.

O plano de ação da pastoral foi elaborado pelo estudante jesuíta de filosofia, João Francisco Haetinger, sua atuação foi fundamental para o crescimento do grupo no aspecto intelectual.

O objetivo principal da pastoral é visitar as famílias dos encarcerados. A escuta e a partilha da palavra de Deus são essenciais para que a pastoral crie laços fraternos com as famílias.

A pastoral desenvolve ações para criar e manter relações comunitárias entre as famílias. São promovidos encontros educativos sobre temas e assuntos que tocam os problemas das famílias visitadas.

Atualmente a pastoral é constituída por oito agentes pastorais. A nossa inspiração está baseada nas ações de Jesus Cristo por meio do evangelho. Inspirados por este mesmo evangelho buscamos ser um meio que facilite a experiência das famílias visitadas com Deus.

A pastoral carcerária familiar comunga da espiritualidade inaciana segundo os Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola.

O grupo tem uma formação e dois encontros entre os agentes a cada semestre. A pastoral também conta com formações arquidiocesanas em parceria com a pastoral carcerária.

A nossa missão não é só a visita às famílias por misericórdia, mas também, porque acredita nas pessoas e suas potencialidades. Estamos sensíveis as necessidades afetiva, material e espiritual daqueles a quem nós visitamos.

Para interessados em conhecer e participar da pastoral pode ligar para a secretaria paroquial que terá maiores informações da agenda, encontros e do planejamento 2019. E, também, recebemos doações em favor dos assistidos da pastoral.

Além das visitas semanalmente da pastoral, este ano acontecerá dois Encontros de Vida e Espiritualidade, nos seguintes dias:

  • 28 de abril (domingo) às 17h30
  • 21 de julho (domingo) às 17h30
  • Na Igreja São Francisco Xavier (Jardim Felicidade)

 

CASA RECRIAR

Este espaço a serviço da promoção e valorização da vida junto à comunidade do bairro Jardim Felicidade, tem como objetivo, criar, acolher e desenvolver todo tipo de atividade que promova as pessoas no campo educacional, profissional e social.

CONHEÇA MAIS A CASA RECRIAR…

Para atender a demanda de serviços de desenvolvimento humano na região da paróquia, sobretudo do bairro Felicidade, formado há 30 anos por famílias pobres que para livrar de aluguéis caros, se instalaram em terreno desapropriado pela Prefeitura de Belo Horizonte, e ali iniciou a CASA RECRIAR em 1988.

A realidade do bairro era de muitas lutas e dificuldades por parte das famílias que ali chegavam. Tudo estava por iniciar. Não havia posto de saúde e a água era escassa. As famílias tentavam construir suas casinhas sem recursos e o que sobrava era insuficiente para alimentar seus filhos e com isso a desnutrição aumentava.

Existia na comunidade um grupo de mulheres que, com ajuda da Congregação das Irmãs da Divina Vontade, começaram a se organizar como agentes de saúde, surgindo a a Pastoral da Criança. Mas como a demanda era grande e de emergência as agentes não estavam conseguindo atender a tantas crianças desnutridas, ficando tristes e angustiadas. A partir desta situação começou a discussão para fazer algo a mais, surgindo assim a idéia do Projeto RECRIAR.

Uma agente de saúde relata: “Foi a Divina Providência, pois tínhamos esse espaço, destinado a um trabalho social para à comunidade, nele um salão, uma pequena cozinha e muito amor para as crianças. Quem tinha uma vasilha a mais em casa foi colocando à disposição, outras correram atrás de mantimentos e assim fomos caminhando com Projeto, com muita fé e coragem. Não tínhamos escolhido o nome. Em uma reunião sugeri que fosse RECRIAR e todas concordaram”.

Assim surgiu a primeira atividade, um projeto de alimentação alternativa. As agentes, que hoje chamamos de líderes eram responsáveis por fazer o almoço e as mães colaboravam com a limpeza do local.

Com este projeto começaram a desenvolver outras atividades no pouco espaço físico, que passou a chamar Casa Madre Gaetana Sterni, uma obra social ligada a Paróquia São Francisco Xavier, hoje OBRAS SOCIAIS CASA RECRIAR.

A Casa não é uma entidade jurídica autônoma. Não tem convênio com nenhum órgão público, portanto, toda sustentação financeira é conseguida através de doação e promoções que são feitas com a ajuda da própria comunidade, outras comunidades e da Paróquia.

Atualmente, existem coordenadores de cada atividade, que juntamente com a Coordenadora da área de Ação Social da Paróquia, se reúnem uma vez por mês para discutir e tomar decisões referente aos trabalhos, atividades, parcerias e manutenção e desenvolvimento da Casa.

Atualmente existem as seguintes atividades:
– Pastoral da Criança
Atende crianças de 0 a 6 anos e tem como prioridade conscientizar a família/mãe na prevenção e cuidado da saúde e seus fatores como desnutriçaõ, higiene, vacinação e outros.
– Projeto Maria Maria
Grupo de mulheres atendidas pela saúde mental que desenvolvem pinturas de autoretrato;
– Projeto Maria Felicidade – Economia Solidária
Grupo de senhoras responsáveis pela desenvolvimento de artesanatos em geral;
– Grupo de trabalhos manuais
É um grupo da própria casa, acompanhado por uma religiosa, com objetivo de aprendizagem e interação social;
– Grupo Renascer
Grupo de convivência da terceira idade;
– Ginástica Lian Gong
Prática de exercícios para a qualidade de vida;
– AA – Alcoolicos Anôninmos
Reuniões com temas pedagógicos e atividades com os alcoolicos e familiares;
– Atendimento Jurídico e Psicológico

A CASA RECRIAR fica localizada na rua Madre Gaetana Sterni, (antiga) Rua Sessenta, 27 Jardim Felicidade em Belo Horizonte.

Faça uma visita a esta obra social e se torne um(a) amigo(a) da CASA.

Maiores informações na Casa Paroquial – 31 3309-9677  ou Casa Recriar – 3435-2837

casa.recriar.1.oficial.2012

festa psfx 2018

Em setembro a Paróquia São Francisco Xavier celebrou o jubileu de prata, 25 anos a serviço do Evangelho e da promoção da fé e da justiça. Sendo, o nosso ponto de partida, em nossas ações apostólicas e pastorais, Jesus Cristo crucificado e ressuscitado. É Jesus Cristo o fundamento da nossa vida e da nossa salvação. É Jesus o principal exemplo de ser humano e de união entre fé e obra (Fl2). Daí o significado tão importante para comemorarmos a criação da nossa paróquia na Festa da Exaltação da Santa Cruz, cujo significado está associado à salvação da humanidade inteira.

Este ano a Comunidade Nossa Senhora de Fátima acolheu a festa da paróquia, iniciando as festividades com a celebração eucarística com as crianças da catequese e uma manhã recreativa.

 

 

 

A área de evangelização promoveu uma Caminhada pela Paz. As comunidades se concentraram no Centro Social São José de Anchieta, onde ocorreu palestras e apresentação teatral com os jovens.

 

 

No dia 16 de setembro, num clima de muita alegria e oração, foi celebrada a missa solene, presidida pelo bispo dom Walmor e concelebrada pelo pároco Pe. Roberto e padres colaboradores da paróquia.

 

 

 

 

 

 

Na última semana, os jovens em um momento de convivência com música ao vivo, descontração e muita alegria e harmonia.

 

 

 

 

Aconteceu em setembro, nas comemorações da festa da paróquia, o lançamento do livro em homenagem aos 25 anos de criação da Paróquia São Francisco Xavier.

São memórias e registros da nossa história vivenciados na fé cristã, como paróquia, povo de Deus, parte do Novo Israel.

O livro contempla histórias, desde a “Era Padre Chico”, a configuração e organização da paróquia, passando pelas pastorais como norteadoras da sua formação até os dias de hoje.

O livro já pode ser adquirido na secretaria da paróquia ou nas comunidades. Valor: R$ 15,00.

“Um povo sem memória é um povo sem história”

   

 

 

Terço dos Homens

A oração do Terço de Nossa Senhora Senhora, praticada historicamente pelos fiéis católicos em todo o mundo, é uma excelente forma de meditação sobre os passos da vida de Jesus.

Eis a razão pela qual o Beato Papa João Paulo II ensinou que o Terço é uma oração contemplativa. A sua Exortação Apostólica Rosarium Virginis Mariae (16.01.2002) despertou em toda a Igreja um renovado interesse pela devoção do Rosário e seus efeitos continuam se propagando de forma encantadora por todo o mundo. É uma forma de contemplar Jesus com os olhos de Maria, tendo sido ela a criatura que mais perto esteve do Filho de Deus encarnado, durante toda a trajetória da Salvação. Nenhuma outra pessoa na terra esteve tão unida a Cristo quanto Maria. Desde a sua concepção até a morte na cruz, e ainda na ressurreição e após a ascensão, Maria está sempre presente e unida ao mistério de seu Filho, Jesus, Deus e Homem verdadeiros.

No Brasil, uma experiência relativamente nova tem chamado a atenção. São os grupos de Terço dos Homens que têm crescido intensamente nos últimos anos. As iniciativas são diversas, surgindo comunidades de homens aqui e acolá, que tomam a decisão de se reunirem para rezar o Terço, quando sempre uma vez por semana comunitariamente, mas às vezes diariamente em família ou ainda solitariamente.

Vem surgindo um esforço para que a oração do Terço seja momento de contemplação dos Mistérios de Cristo, associado ao louvor e à súplica a Maria, e ainda oportunidade de maior engajamento dos homens do Terço na vida litúrgica e pastoral de suas paróquias ou comunidades.

Espontaneamente, há muitos grupos no sentido de voltarem suas atenções para os pobres, realizando verdadeira obra social, caritativa e promocional, o que tem aliviado o padecimento de muitos irmãos empobrecidos e sofredores, vencendo, como podem, as situações de exclusão social.

O Terço dos Homens tem se revelado também como força de transformação e de verdadeiras conversões. Homens antes em descaminhos ou frios na fé, ao frequentar um grupo de Terço, têm mudado de vida e se libertado de situações degradantes próprias de quem vive longe de Deus.

Salve Maria, Salve Rainha!

 

Autor: Dom Gil Moreira – Arcebispo de Juiz de Fora | Texto extraído da Revista Ave Maria

 

Na Paróquia São Francisco Xavier, em algumas comunidades grupos já se reúnem para rezar o Terço, são elas: Nossa Senhora Aparecida, Imaculada Conceição, Santo Inácio, Sagrado Coração de Jesus, São Pedro, São Judas Tadeu e Nossa Senhora de Fátima.

Encontro da Pastoral Familiar

Venha participar de um dia de encontro na convivência da pastoral familiar. Procure a família nucleadora da sua comunidade ou informações na secretaria paroquial das 14h às 20h – Tel. 3309-9677

A Pastoral Familiar é uma ação organizada e planejada que se realiza na Igreja e com a Igreja, por meio de agentes específicos, capazes de oferecer os instrumentos necessários para a formação da família.

Trata-se de um trabalho eclesial amplo, abrangente e transversal que tem em vista favorecer e promover a vida cristã das famílias.

  • É um serviço da igreja para as famílias;
  • Fortalece o vínculo matrimonial das famílias com a igreja, através dos diversos encontros e atividades;
  • Acolhe todas as pessoas nas realidades familiares que se encontram, apresentando-lhes uma Igreja amorosa e misericordiosa;
  • Transforma a sociedade pela obra de evangelização humana cristã.

 

“Se falta o amor de Deus, a família também perde a harmonia, prevalecem os individualismos, se apaga a alegria. Pelo contrário, a família que vive a alegria da fé, comunica-se espontaneamente, é sal da terra e luz do  mundo, é fermento para toda a sociedade.”

Papa Francisco

Venha conhecer melhor e participar da Pastoral Familiar em nossa paróquia. Procure o coordenador/a ou família nucleadora de sua comunidade.

Campanha da Bíblia

A Paróquia São Francisco Xavier em parceria com a Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Belo Horizonte, lança a CAMPANHA DA BÍBLIA que tem como objetivo contribuir com ações junto aos presos e seus familiares, dentre elas, levar a Palavra de Deus e a escuta.

banner-doe-biblia

Você pode colaborar, generosamente, doando uma ou mais bíblias, de preferência nova ou de bom estado de conservação (tradução: CNBB ou PASTORAL – tamanho médio e capa simples). Estas características são necessárias devido às condições de entrada no presídio: “Presídio Inspetor José Martinho Drumond” em Ribeirão das Neves – MG onde agentes da nossa paróquia atuam como voluntários nesta missão pastoral.

As doações serão recebidas nas comunidades nos horários de missas e na secretaria da paróquia

(Rua José Lins do Rego, 444 Tupi | segunda a sexta-feira das 14h às 20h e sábado das 8h às 12h | Tel. (31) 3309-9677

 

 

Todos os Santos

Solenidade celebrada em 1º novembro

Não celebramos a festa de tantos santos reunidos juntos; celebramos algo mais profundo: o mistério da comunhão dos santos. É um artigo do nosso Creio: “Creio na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos”.

Todos os Santos, isto é, os redimidos por Cristo, que viveram antes de nós, a partir de Maria, formam uma comunhão, uma unidade: são o corpo glorificado de Cristo, a Igreja dos bem-aventurados.

todos.os.santos

 

HINO

Dos santos todos fostes caminho,
vida, esperança, Mestre e Senhor:
ouvi agora nossos louvores,
ó Redentor.

No céu, aos coros dos anjos todos
juntam os santos a sua voz:
todos unidos, a bendizer-vos,
pedem por nós.

Ouvindo as preces da Virgem Santa,
dos santos todos a intercessão,
afaste as penas, que merecemos,
vosso perdão.

Com o Pai e o Espírito, aqui na terra,
dai-nos louvar-vos, único Deus,
e auxiliados por tantos santos
subir aos céus.