ORIENTAÇÕES 02/2020 COVID-19

Leiam o decreto abaixo:

….

Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, por zelo
pastoral e pelo bem do Povo de Deus nas suas comunidades de fé, oficializa:
1/6
ORIENTAÇÕES 02/2020
Orientações e Determinações sobre as Atividades Pastorais e
Celebrações Litúrgicas na Arquidiocese de Belo Horizonte,
diante da Pandemia do coronavírus – COVID-19.
Aos Cristãos Leigos e Leigas, Presbíteros, Diáconos, Consagrados e Consagradas,
Homens e Mulheres de boa vontade, empenhados na evangelização e na superação
desta grave fase de pandemia:
“Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” – Lc 10,33
Neste tempo quaresmal, chamados à conversão, movidos pelas pertinentes motivações
da CF-2020, “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso”, estamos todos convocados a
ações concretas, efetivas, disciplinadas, em favor da vida de todos, especialmente dos
pobres e vulneráveis, contribuindo e lutando pela superação desta terrível pandemia do
coronavírus, exercitando-nos, como Igreja e sociedade, no combate a tantas outras
pandemias.
Determina-se:
1. Sobre Atividades Pastorais
1.1. Suspender, a não ser que haja nova determinação, até o dia 12 de abril, em
todas as instâncias pastorais da Arquidiocese de Belo Horizonte, os vicariatos,
regiões episcopais, foranias, paróquias, santuários, as reuniões, encontros,
assembleias, seminários, cursos, catequese e eventos que aglomerem as
pessoas. Se for necessário, remarcar as atividades já previstas.
1.2. Olhar e cuidar com atenção dos idosos e pessoas mais vulneráveis de nossas
comunidades, amparando os mais pobres por auxílios materiais necessários,
por meio de uma sólida rede de solidariedade em cada paróquia.
Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, por zelo
pastoral e pelo bem do Povo de Deus nas suas comunidades de fé, oficializa:
2/6
1.3. Redobrar os cuidados com a limpeza nos ambientes comunitários e facilitar
para que todos tenham acesso a uma pia com sabão para lavarem as mãos e
se for o caso, manter disponível algum dispensador de álcool gel.
1.4. Seguir, sem restrições, as orientações e determinações do Ministério da
Saúde e das autoridades competentes.
1.5. Acolher e prover, especialmente a população em situação de rua, em espaços
disponíveis das Paróquias, resguardando as medidas de proteção, em atenção
às suas demandas, oferecer apoio para alimentação, água, kit de higiene,
utilização de sanitários e chuveiros, troca de roupa, auxílio caso queiram
retornar para a família ou cidade de origem.
1.6. Usar ferramentas tecnológicas para ajudar a manter a vida paroquial,
contatos, animação missionária, assistência espiritual, manutenção da rede de
contribuições e apoios, dizimistas e doadores, pelo uso de transmissões via
Facebook, YouTube, Instagram e outros.

2. Sobre a Celebração dos Sacramentos
2.1. Suspender todas as celebrações da missa e da Palavra de Deus presenciais,
até nova determinação, conforme orientação das autoridades sanitárias, com
o único objetivo de não expor as pessoas ao perigo, protegê-las e salvar vidas.
Contudo, as igrejas devem ficar sempre abertas, com os devidos cuidados.
2.2. Oferecer as celebrações das missas, abundantemente, pelos meios de
comunicação, diariamente, em dias e horários comunicados e informados por
vários meios para ampla participação, fortalecendo nossa comunhão, que é
força maior.
2.3. Oferecer, igualmente, as celebrações da Palavra de Deus e momentos de
espiritualidade cristã, amplamente divulgados.
2.4. Adiar as celebrações dos batizados para o mês de agosto em diante.
2.5. Fazer a catequese de preparação de pais e padrinhos para o batismo, nesse
período, por meio dos veículos de comunicação, com a seguinte programação:
todos os sábados de abril a julho, de 16:00 às 17:00, pela TV Horizonte, Rádio
América e pela Internet.
2.6. Empenhar esforços com os noivos que já agendaram o seu casamento até o
mês de julho, para adiarem e agendarem nova data a partir de agosto.
Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, por zelo
pastoral e pelo bem do Povo de Deus nas suas comunidades de fé, oficializa:
3/6
2.7. Redimensionar a quantidade de pessoas convidadas para os casamentos que
não puderem ser adiados, por meio de uma conversa pessoal dos párocos
com os noivos, de modo que as pessoas se disponham espaçadamente dentro
da igreja. Com outras palavras, determinar quantas pessoas poderão participar
da celebração do matrimônio.
2.8. Reagendar as crismas, num entendimento entre os párocos, bispos e vigários
episcopais, em diálogo com os catequistas, para o mês de agosto em diante.
2.9. Transmitir um programa de catequese crismal todos os sábados de abril a
julho, de 17 às 18h, pela TV Horizonte, Rádio América e Internet, destinado
aos crismandos e seus catequistas.
2.10. Suspender, até nova determinação, o atendimento aos idosos e enfermos, que
recebem a eucaristia em casa, para garantir-lhes segurança.
Esta determinação vale também para a celebração do sacramento da Unção
dos Enfermos.
2.11. Suspender, igualmente, até nova determinação, as celebrações das Exéquias,
tanto nas casas quanto nos velórios e cemitérios.
2.12. Oferecer o Sacramento da Penitência em horários variados, ouvindo os
penitentes individualmente. Ficam suspensos os mutirões das confissões.
2.13. Incentivar a Oração em Família e a Liturgia Doméstica, a Igreja da Casa,
com roteiros de celebrações tais como a meditação da Palavra de Deus, o
Terço, a Via Sacra, disponíveis no Portal da Arquidiocese de Belo Horizonte,
para que Deus nos livre deste e de muitos outros males que atentam contra a
vida.
3. Sobre a Semana Santa e o Tríduo Pascal
3.1. Celebrar presencialmente – se não houver uma determinação ao contrário –
somente o Tríduo Pascal, que é o coração e centro da vida da Igreja, contanto
que sejam poucas pessoas envolvidas, bem distanciadas umas das outras na
igreja, a mais ou menos um metro e meio, o que vale também para a
disposição das pessoas no presbitério e no local da equipe de canto.
3.2. Suspender os atos externos da semana santa, como as procissões, sermões,
dramatizações da paixão, Vias Sacras. Serão ofertadas várias e intensas
oportunidades de reflexão pelos meios de comunicação.
3.3. Celebrar a Missa da Unidade Arquidiocesana dentro das condições exigidas
e determinadas para o contexto, com a transmissão pela TV Horizonte, Rádio
Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, por zelo
pastoral e pelo bem do Povo de Deus nas suas comunidades de fé, oficializa:
4/6
América e Internet, na Catedral Cristo Rei, com a presença somente dos
membros do Conselho Pastoral Arquidiocesano, que representam toda a
Arquidiocese e os ministros ordenados, diáconos, padres e bispos. Nessa
celebração os santos óleos serão entregues pelo arcebispo aos bispos
auxiliares e vigários episcopais, que por sua vez os entregarão aos párocos,
para que sejam utilizados nas comunidades.
3.4. Celebrar a Missa da Ceia do Senhor, uma única por paróquia, sempre com
um número pequeno de pessoas. Não se realize o rito do Lava-pés.
3.4.1. Nesta noite, os que não participarem da missa, podem fazer uma bonita
celebração em casa, aproveitando as leituras do dia, realizando a bênção da
mesa e a refeição familiar ou acompanhar o momento de espiritualidade
eucarística pelos meios de comunicação.
Roteiros e indicações estarão disponibilizados no Portal da Arquidiocese de
Belo Horizonte.
3.5. Celebrar a Paixão do Senhor, uma por paróquia, e nela eliminar o rito do
beijo na Cruz e nas imagens expostas à veneração dos fiéis.
3.5.1. Neste dia, os que não forem à celebração na igreja, podem celebrar em
casa, às 15h, a Palavra de Deus, com as leituras bíblicas do dia, utilizando o
evangelho da paixão abreviado, e poderão fazer também a adoração da cruz e
a Oração Universal ou acompanhar o momento de espiritualidade pelos meios
de comunicação.
Roteiros e indicações estarão disponibilizados no Portal da Arquidiocese de
Belo Horizonte.
3.6. Celebrar a Vigília Pascal, no Sábado Santo, à noite, da mesma forma restrita,
uma em cada Paróquia, mas de maneira esmerada, como sinal da luz da fé em
Cristo ressuscitado, acesa em toda a nossa Arquidiocese de Belo Horizonte, a
iluminar toda a sociedade.
3.6.1. Nesta noite, os que não conseguirem participar de modo presencial,
devido às restrições de aglomeração de pessoas, poderão celebrar em família,
na própria casa, quando farão o acendimento e bênção do já conhecido “círio
da família”, aquela pequena vela mais grossa, depois a meditação de algumas
poucas leituras bíblicas previstas, como também a bênção e aspersão da água
em recordação do batismo, além das preces e por último a refeição fraterna
em família, ou acompanhar a celebração pelos meios de comunicação.
Roteiros e indicações estarão disponibilizados no Portal da Arquidiocese de
Belo Horizonte.
Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, por zelo
pastoral e pelo bem do Povo de Deus nas suas comunidades de fé, oficializa:
5/6
3.7. Celebrar o Domingo de Páscoa, uma missa em cada Paróquia, com as
mesmas exigências acima expostas.
3.7.1. E neste domingo, tão especial, os que não puderem participar na igreja,
podem, em família, na própria casa, celebrar a Palavra de Deus com as leituras
bíblicas do dia, preces e uma pequena confraternização pascal ou acompanhar
a missa pascal pelos meios de comunicação.
O roteiro estará disponibilizado no Portal da Arquidiocese.
3.8. Garantir, em todos os lares o acompanhamento de uma programação
especial e das celebrações ainda durante a quaresma e a semana santa, pelos
serviços da Rede Catedral de Comunicação Católica, por meio da TV
Horizonte, Rádio América e Internet.
3.9. Transmitir as celebrações das paróquias, por meio da PASCOM,
utilizando os meios de comunicação e as redes sociais como o Facebook,
YouTube, Instagram e outras possibilidades.

4. Orientações finais
4.1. Dar atenção e irrestrito respeito às orientações das autoridades competentes
no campo da saúde e acompanhamento constante da situação.
4.2. Não compartilhar notícias falsas (fake news). A mentira, além de prejudicar
o enfrentamento da doença, gera pânico, agravando a situação. Nesse sentido,
é oportuno checar cada informação recebida pesquisando em fontes
fidedignas.
4.3. Convencer e trabalhar para que as pessoas compreendam e assumam a postura
de não sair de casa, com especial atenção, convencer aos idosos e enfermos.
4.4. Nutrir muita esperança e superar sentimentos de fracasso e derrota, certos e
confiantes na condução que Deus Pai, em Cristo Jesus, pelo Espírito Santo,
em nossas vidas e na história de nossa salvação.
4.5. Exercitar a solidariedade e alimentar a comunhão de onde vem a força
maior que nos fará vencer e nos alegrar, cuidando para não nos intoxicar com
informações, causando pânico ou medos que enfraquecem nossa participação
numa luta que venceremos, em Deus e por seu amor.
4.6. As instituições da Arquidiocese de Belo Horizonte, a saber, a Mitra
Arquidiocesana; a Sociedade Mineira de Cultura mantenedora da Pontifícia
Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas, do Colégio Santa
Maria Minas – CSM Minas e da Rede Catedral de Comunicação Católica; a
Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, por zelo
pastoral e pelo bem do Povo de Deus nas suas comunidades de fé, oficializa:
6/6
PROVIDENS com suas obras sociais; a Fundação Mariana Resende Costa –
FUMARC; e a Associação de Desenvolvimento Integral – ADI; estão
trabalhando em regime especial, sob a orientação da Diretoria Corporativa de
Recursos Humanos e instâncias afins, zelando pelo bem de todos os
colaboradores, segundo normas e sistemas cabíveis nesta realidade que
vivemos no presente momento.
4.7. Às comunidades paroquiais se disponibilizarão serviços de informações,
suportes, assessoria e orientações para que o caminho evangelizador, em
tempo de “exílio” e austeridades continuemos nosso caminho missionário de
modo fecundo.
5. Rezemos juntos, invocando a intercessão de Nossa Senhora, Mãe de Jesus
Cristo, para que a pandemia do coronavírus e outros males sejam vencidos:

À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.

Agradecemos a compreensão de todos.

Orientações sobre o COVID-19

Avisos de Dom Walmor sobre o cuidado contra o Coronavírus: Orientações às comunidades de fé.
Amados e amadas de Deus, Saúde e paz! A pandemia do novo Coronavírus avança no Brasil e, por isso mesmo, somos todos convocados a dedicar maior atenção às medidas de prevenção da doença. Nesse sentido, convido nossas comunidades de fé a seguirem as seguintes recomendações, em sintonia com as indicações dos especialistas em saúde pública:
1)No âmbito de nossos vicariatos, regiões episcopais, foranias, paróquias e outras instâncias eclesiais, suspender, por quinze dias, a realização de encontros, assembleias, seminários e outros eventos que contribuam para aglomerar pessoas. Havendo possibilidade, remarcar atividades já previstas.
2)Nas comunidades de fé e em outros ambientes eclesiais, redobrar os cuidados com a limpeza e facilitar para que os fiéis tenham acesso a álcool em gel.
3)Idosos e enfermos ficam desobrigados do compromisso cristão católico de participar das Missas semanais. Poderão permanecer em comunhão e unidos à comunidade de fé a partir das celebrações transmitidas pela Rede Catedral de Comunicação Católica – TV Horizonte e Rádio América.
4)Torna-se importante suspender mutirão de confissões nas comunidades paroquiais. Solicitamos aos sacerdotes que dediquem horário especial, diário, para acolher os fiéis que buscam o Sacramento da Reconciliação, neste tempo de Quaresma.
5)Recomenda-se também suspender por 15 dias a catequese.
6)Quando possível, solicitamos aos evangelizadores que organizem celebrações em espaços abertos, especialmente as que reúnem mais pessoas, e mantenham as Igrejas mais arejadas.
7)Todos devem seguir as recomendações do Ministério da Saúde, mantendo bons hábitos de higiene.
8) Importante redobrar cautela para não compartilhar notícias falsas (fake news). A mentira, além de prejudicar o enfrentamento da doença, gera pânico, agravando a situação.
9)Nesse sentido, oportuno é checar cada informação recebida pesquisando em outras referências
10)Prevalecem as indicações publicadas no dia 26 de fevereiro: receber a Sagrada Eucaristia nas mãos, suspender o abraço da paz e não se dar as mãos na oração do Pai-Nosso.
11)Vamos intensificar, nos modos possíveis, a promoção de momentos de oração e preces a Deus para que nos livre deste e de muitos males que atentam contra a vida na sociedade, fortalecendo os agentes e profissionais da saúde para que realizem tudo o que for necessário para superarmos a ameaça do Coronavírus e de outras enfermidades.
Estamos atentos aos desdobramentos para subsidiar-nos em novas ações. Para a maioria das pessoas, o Coronavírus tem sintomas similares aos de uma gripe, sem grandes riscos. A preocupação maior é com idosos e enfermos. Cuidemos especialmente dessas pessoas, mais vulneráveis à doença.
Este desafio é oportunidade para um recomeço, remodelações de processos e adoção de novos modos de viver na casa comum, no profético horizonte da ecologia integral. Somos convocados à solidariedade, a darmos genuíno testemunho cristão, a partir de atitudes inspiradas na Parábola do Bom Samaritano, conforme nos pede a Campanha da Fraternidade 2020 – Fraternidade e vida: dom e compromisso. Não podemos ser indiferentes. Em vez disso, diante dos que sofrem, devemos aprender a ver a dor do outro, reconhecê-la; sentir compaixão e cuidar.
A amada Mãe Maria, Nossa Senhora da Piedade, nos inspire neste caminho. Cristo Rei abençoe a vida de todos.

Na PSFX, observaremos também essa orientações do Pres. CNBB para todos os Católicos no Brasil, além da nossa Paróquia. Sendo coerente com o contexto atual, não usaremos os Livrinhos de Canto neste momento. Também não haverá as duas semanas da reconciliação em todas as comunidades. As confissões serão feitas somente na Secretaria Paroquial. As catequeses foram adiadas por 15 dias podendo esse tempo ser estendido caso faça necessário. Verifique na sua comunidade sobre adiamento e/ou cancelamentos de outras atividades.

Agradecemos a compreensão de todos.

Missa de posse do novo pároco

Aconteceu no dia 29 de fevereiro de 2020 na Igreja São Judas Tadeu, a missa de posse do novo pároco, Pe. Jose dos Passos, SJ, da Paróquia São Francisco Xavier. 

Com muita alegria e participação de centenas de paroquianos, padres, religiosos e religiosas, o vigário episcopal da RENSC Pe. Antônio Moacir presidiu a celebração. A provisão de pároco foi lida pelo Pe. Filipe, vigário forâneo da Forania São José Operário e no final foi lida a ata do início do ministério do novo pároco, pelo ex-pároco, Pe. Roberto, SJ.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Datas móveis do calendário católico

No domingo, 5 de janeiro, em todo o Brasil,  a Igreja fez o anúncio das Solenidades móveis de todo o ano de 2020. O ano de 2020 é o ano A, no qual são proclamados no tempo comum os textos do Evangelho de São Mateus. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil disponibilizou o calendário com as datas das festas móveis. Confira abaixo:

2020 
ANO A  (São Mateus) 
Festas móveis 

Epifania do Senhor (Domingo)- 5 de janeiro

Batismo do Senhor (Domingo)- 12 de janeiro

Quarta-feira de Cinzas- 26 de fevereiro

Páscoa da Ressurreição- 12 de abril

Ascensão do Senhor- 24 de maio

Pentecostes- 31 de maio

Santíssima Trindade- 07 de junho

Corpo e Sangue de Cristo- 11 de junho

Sagrado Coração de Jesus- 19 de junho

São Pedro e São Paulo (Domingo)- 28 de junho

Assunção de N. Senhora- 16 de agosto

Todos os Santos (Domingo)- 01 de novembro

Solenidade de Cristo-Rei- 22 de novembro

1º Domingo do Advento- 29 de novembro

Sagrada Família (Domingo)- 27 de dezembro

Iniciação Teológico-Pastoral

PROCESSO SELETIVO 2020
Encontram-se abertas as inscrições para o processo seletivo 2020 do CITEP. 
– Período de Pré-Inscrição: 01/11/2019 a 31/01/2020
– Período do Processo Seletivo 2020: 03/02/2020 a 21/02/2020.
– INÍCIO DO CURSO: 03/03/2020 (TERÇA).
– Valor da inscrição para o Processo Seletivo: R$ 30,00 (pagamento no dia da entrevista)

– Local: FAJE 

Dúvidas podem ser esclarecidas no telefone (31) 3115-7013

O Curso de Iniciação Teológico-Pastoral (CITEP) é uma iniciativa do Núcleo de Extensão e Especialização (NEE), coordenado por um grupo de voluntários. No período de três anos, com aulas às 3ªs e 5ªs feiras, das 20h às 21h45, dá-se uma visão de conjunto da teologia e da pastoral, nas suas diversas áreas. Também é oferecida a introdução aos Exercícios Espirituais, com possibilidade de acompanhamento individualizado.

Público-alvo: agentes pastorais em âmbito comunitário ou paroquial que desejam aprofundar sua fé, capacitar-se para a evangelização e atuar na sociedade.

Carga horária: 384 horas/aula, distribuídas ao longo de 3 (três) anos, com certificado de CURSO LIVRE da FAJE.

Investimento mensal: R$ 45

Mais Informações: secextensao@faculdadejesuita.edu.br
(31) 3115-7013 (9h às 12h / 13h às 17h)
Ou através do Telefone (31) 3115-7013 (Secretaria do Núcleo de Extensão e Especialização – 8h30 às 17h)

Copie o link abaixo e faça sua inscrição:

https://www.faculdadejesuita.edu.br/iniciacao-teologica-para-leigos-177/iniciacao-teologica-para-leigos-177

 

VI APD na RENSC

Aconteceu este mês (19 de outubro) na PUC São Gabriel, com representantes da paróquia, a APD – Assembleia do Povo de Deus – da RENSC – Região Episcopal Nossa Senhora da Conceição – para escuta das contribuições paroquiais e definição de indicações pastorais para o Projeto Proclamar a Palavra.

  

 

 

A preocupação da Igreja, com as novas diretrizes, não é com a quantidade, mas com a qualidade de cristãos que, tendo feito a experiência do encontro com Cristo, sejam testemunhas da alegria no mundo carente de sentido.  O eixo fundamental das novas diretrizes é a recuperação do sentido da casa da Misericórdia onde moram também a Comunhão e a Caridade. “A imagem da casa da Misericórdia tem um sentido pedagógico e é entendida como lar e espaço de vida”. A casa, no texto das diretrizes, é entendida como comunidade eclesial missionária sustentada por quatro pilares:

Primeiro Pilar: A Palavra – que aprofunda a iniciação à vida cristão e a iniciação bíblica e a ideia de ter comunidades fundadas em torno da palavra; 

Segundo Pilar: O Pão – que aprofunda a liturgia e a busca por viver a espiritualidade rumo à santidade que nos leva, obrigatoriamente, ao encontro do outro;

Terceiro Pilar: A Caridade – Baseado no que disse Paulo VI na ONU: “Que a Igreja é especialista em humanidade”, o texto das diretrizes aponta a necessidade das comunidades se preocuparem com os que mais sofrem e a defesa da vida em todos os sentidos.

Quarto Pilar: A Ação Missionária – A exemplo do que pede o papa, o sentido da comunidade se realiza quando ela sai em missão e vai ao encontro das periferias existenciais.

Os próximos encontros de atividades do processo da VI APD acontecerão em novembro e dezembro, quando no dia 8 de dezembro será lançado o novo Projeto Proclamar a Palavra, quadriênio 2019-2023.

 

Especial gratidão

Agraciado por vida longeva, 95 anos, o cardeal Dom Serafim Fernandes de Araújo, filho de Deus, por Ele chamado e guiado, atravessou tempos diferentes, mudanças muito profundas, sempre contribuindo com a Igreja em etapas relevantes da sua história. Estava entre os últimos bispos ainda vivos que participaram do Concílio Vaticano II, realizado de 1962 a 1965, acontecimento eclesial de incidência profunda e transformadora na vida da Igreja. Ali esteve nos albores de sua vida, dos 39 aos 41 anos de idade, nos primeiros seis anos de sua missão episcopal. Dom Serafim foi bispo auxiliar durante o ministério de Dom Antônio dos Santos Cabral, primeiro Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, e de Dom João Resende Costa, segundo Arcebispo Metropolitano, por 23 anos. Foi nomeado arcebispo coadjutor, missão que exerceu de 1982 a 1986 e Arcebispo Metropolitano, por 18 anos, até 2004. Uma vida quase centenária acompanhando o crescimento e os desdobramentos da Igreja em Belo Horizonte.

Dom Serafim não apenas prosseguiu com o trabalho dos seus antecessores, mas também contribuiu com o desabrochar de novas potencialidades. A partir dos alicerces construídos pelos primeiros arcebispos, Dom Serafim obteve conquistas admiráveis no mundo da educação, particularmente no desempenho da exigente tarefa à frente da reitoria da PUC Minas, proporcionando e acompanhando seu crescimento. Hoje a PUC Minas é a maior universidade católica do mundo. De modo semelhante, teve atuações relevantes no âmbito da comunicação, antecipando a inserção da Arquidiocese nas diferentes mídias, indispensáveis para que a Igreja qualifique ainda mais a sua presença evangelizadora, por meio de diálogos e interfaces, no mundo atual. Preparou, assim, lá atrás, a Arquidiocese para a contemporaneidade.

Da gestão ao pastoreio, das autoridades aos mais simples, das complexas exigências à simplicidade do seu jeito, de quem teve suas mais importantes raízes no artístico e sertanejo Vale do Jequitinhonha, Dom Serafim começou lá por Minas Novas, passando por Itamarandiba, até Roma, de muitas idas e vindas, sempre em Belo Horizonte, a pátria apaixonada, inspirando a mineiridade. Em seus 95 anos, pode-se imaginar os impactos vividos por Dom Serafim desafiado pelas marcas dos novos tempos, tão fortes que exigiram constantes reposicionamentos. Soube exercitar a compreensão, alargar horizontes, para responder às exigências próprias das mudanças históricas e, assim, viver e servir com alegria, pois a vida é dom que se recebe e se doa.

A vida deve ser instrumento para promover o bem, a defesa incondicional e o devotamento a cada pessoa, ao próximo, nos insubstituíveis parâmetros da fé cristã. A vida ganha mais valor quando se consegue considerar mais importante o outro, mesmo o diferente, que pode surpreender por ser novidade, até mesmo quem parece ou se faz inimigo. Aí reside, sem dúvida, o ouro da vida sacerdotal: o serviço prestado ao povo. Considerar o outro como mais importante é recordar o princípio de que Deus amou primeiro a cada um, e não foi ninguém que primeiro O amou. Esse princípio causa permanente desconcerto a qualquer tipo de preconceito, discriminação ou maledicente tratamento. É holofote que deve iluminar o tempo fugidio, a herança que se deixa, as labutas, os pesos carregados, as sementes plantadas e os frutos colhidos. E cada história de vida constitui uma herança a ser cuidada, usufruída na gratidão para ser semente do novo que sempre vem.

Dom Serafim partiu – a hora da partida de cada um chega, cedo ou tarde – finalizando a contagem de um tempo para entrar na vida plena e permanecer na história. Um personagem da sociedade mineira, inspirando-a, em tempos de aridez. Singular referência sacerdotal de pastoreio na Igreja, alentando-a. Por tudo, a gratidão. Em tudo, a reverência. Cada dia, lembranças. No horizonte da fé, uma certeza. Dom Serafim ouviu do coração amoroso de Deus: “Servo bom e fiel, vem participar das alegrias de teu Senhor”!

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte
Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)