Tamanho da Letra

Pastoral Carcerária Familiar

A Pastoral Carcerária Familiar foi criada em novembro de 2015, tendo como fundador o Prof. Pe. Geraldo de Mori, SJ. O desejo da fundação desta pastoral surge motivado para a construção de uma sociedade mais solidária e para fortalecer a dimensão comunitária, material e espiritual das famílias visitadas. Assim sendo, ajudando-as a crescer na fé.

O plano de ação da pastoral foi elaborado pelo estudante jesuíta de filosofia, João Francisco Haetinger, sua atuação foi fundamental para o crescimento do grupo no aspecto intelectual.

O objetivo principal da pastoral é visitar as famílias dos encarcerados. A escuta e a partilha da palavra de Deus são essenciais para que a pastoral crie laços fraternos com as famílias.

A pastoral desenvolve ações para criar e manter relações comunitárias entre as famílias. São promovidos encontros educativos sobre temas e assuntos que tocam os problemas das famílias visitadas.

Atualmente a pastoral é constituída por oito agentes pastorais. A nossa inspiração está baseada nas ações de Jesus Cristo por meio do evangelho. Inspirados por este mesmo evangelho buscamos ser um meio que facilite a experiência das famílias visitadas com Deus.

A pastoral carcerária familiar comunga da espiritualidade inaciana segundo os Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola.

O grupo tem uma formação e dois encontros entre os agentes a cada semestre. A pastoral também conta com formações arquidiocesanas em parceria com a pastoral carcerária.

A nossa missão não é só a visita às famílias por misericórdia, mas também, porque acredita nas pessoas e suas potencialidades. Estamos sensíveis as necessidades afetiva, material e espiritual daqueles a quem nós visitamos.

Para interessados em conhecer e participar da pastoral pode ligar para a secretaria paroquial que terá maiores informações da agenda, encontros e do planejamento 2019. E, também, recebemos doações em favor dos assistidos da pastoral.

Além das visitas semanalmente da pastoral, este ano acontecerá dois Encontros de Vida e Espiritualidade, nos seguintes dias:

  • 28 de abril (domingo) às 17h30
  • 21 de julho (domingo) às 17h30
  • Na Igreja São Francisco Xavier (Jardim Felicidade)

 

Para refletir

“Dar espaço a Deus na alma, significa empreender uma luta sem medida contra a própria natureza, é abraçar a própria cruz e abandonar-se à crucifixão” (Santa Teresa Benedita da Cruz)

Você Sabia

Os cinquenta dias entre o Domingo da Ressurreição e o Domingo de Pentecostes sejam celebrados com alegria e exultação, como se fossem um só dia de festa, ou melhor, “como um grande Domingo”. Os Domingos deste tempo pascal sejam tido como Domingos da Páscoa.