Tamanho da Letra

Quaresma: tempo de saída de nós mesmos

O tempo quaresmal proporciona a preparação para a Páscoa. Nele os cristãos são convidados a percorrer um itinerário espiritual com 40 dias de oração intensa, jejum e penitência. “Sabemos que os 40 dias referem-se aos 40 anos do Êxodo. É um tempo suficiente para um caminho de libertação. Assim aprendemos da Igreja”, afirma o arcebispo da Paraíba, dom Manoel Delson.

O fato é que a espiritualidade quaresmal gera a acolhida do Ministério Pascal, da Paixão, Morte e Ressureição de Jesus Cristo. “O Filho de Deus se entregou por toda a humanidade nas mãos dos homens, padeceu todo tipo de suplício, maltratado, injuriado, fizeram-no carregar a cruz, no calvário pregaram-no no madeiro e o ergueram entre bandidos. Sua morte cruenta transformou-se em remédio de salvação para todos nós. Mas o Pai, que é Deus, o ressuscitou glorioso”, enfatiza o arcebispo.

Os 40 dias vão da quarta-feira de cinzas até o Domingo de Ramos, tempo no qual, dom Delson afirma que deve-se vivenciar o espírito do Exôdo: “Como Povo de Deus, conduzido pela sua Palavra, sairemos da Terra da Escravidão, do pecado (egoísmo, maldade, injustiça, violência, hedonismo, vícios) para a Terra Prometida da realização das Promessas Divinas em relação à humanidade.

“Quaresma é tempo de saída de nós mesmos, mundo de fraqueza e fechamento, para irmos ao encontro do outro, mundo da abertura e fortalecimento, na convivência amorosa e fraterna, afirma o arcebispo.

No caminho quaresmal, a Igreja Católica convida os fiéis ao êxodo existencial ou a “sair da frouxidão na vida espiritual”, como define dom Delson. Para ele, a Quaresma é um tempo favorável para a mortificação. “Sabe-se que Adão continua a cair quando pecamos, mas a Igreja recorda sempre que o pecado não tem a palavra final em nossas vidas. O tempo da Quaresma é um caminho pedagógico que forma o homem interior, que o conduz à Vitória Pascal de Cristo. Portanto, Quaresma é saída, saída da vida velha para a vida cheia da esperança de Cristo!”, diz.

“Com a Virgem Maria, somos seguramente conduzidos aos últimos momentos dramáticos de Seu Filho, Jesus Cristo. E com Ela celebramos com alegria o “vencer” de Deus sobre os nossos pecados e escuridões”, finaliza o bispo.

Para refletir

A Igreja no Brasil proclamou a celebração do Ano do Laicato. O que é ser leigo na Igreja? Na sociedade? Como podemos nos envolver mais e ajudar o mundo a ser melhor?

Você Sabia

Leigo significa “do povo”. Os leigos são todos cristãos que, pelo batismo, estão incorporados em Cristo e, não pertencendo ao clero (bispos, sacerdotes, diáconos), participam na missão da Igreja no mundo.